EXCLUSIVA METODOLOGIA LV-5- DB Genética Suína | ASEMG

EXCLUSIVA METODOLOGIA LV-5- DB Genética Suína

Publicado em 3 de setembro de 2020

Quando os leitões sobrevivem aos primeiros cinco dias após o parto, as chances de eles chegarem até o abate aumentam significativamente. A metodologia LV-5, uma exclusividade da DB Genética Suína, utiliza como critério de seleção o número de leitões vivos ao quinto dia pós-parto – fator determinante para a velocidade de ganho genético dos plantéis.

Dessa forma, o LV-5 é uma característica que está altamente correlacionada geneticamente com o número de leitões desmamados, contribuindo, simultaneamente, para o aumento no tamanho da leitegada e para a redução da mortalidade, em um período crucial para os leitões: seus cinco primeiros dias de vida.

Incremento no tamanho da leitegada e na taxa de sobrevivência dos leitões

Desde 2004, quando a DanBred, parceira internacional da DB Genética Suína, introduziu pela primeira vez o LV-5 dentro do programa de melhoramento genético das linhagens Landrace e Large White, essa característica tem contribuído para um ganho genético significativo, com importante efeito positivo na capacidade reprodutiva dos plantéis comerciais.

Assim, a metodologia LV-5 garante a expressão, não somente da prolificidade da matriz, mas também de sua habilidade materna, bem como da qualidade e vitalidade dos leitões. Isso porque o LV-5 é o resultado de uma seleção indireta para diferentes características, tais como: maior taxa de ovulação, sobrevivência embrionária, eficiência placentária e capacidade uterina que, combinadas, impactam positivamente no número total de leitões nascidos com qualidade.

O sucesso dessa característica proporcionou à DB-DanBred a liderança do mercado de fêmeas, com resultados de produtividade que vêm estabelecendo novos parâmetros para a suinocultura brasileira, além de uma substancial redução nos custos fixos e do aumento da lucratividade.

 

Benefícios da seleção com base na metodologia LV-5:

❏    Maior número de leitões nascidos

❏    Redução da mortalidade

❏    Qualidade e vitalidade dos leitões

❏    Habilidade materna e capacidade das fêmeas de nutrir os leitões

❏    Redução de defeitos congênitos

❏    Aumento no índice de Desmamados/Fêmea/Ano (DFA)

Autor: Diego Vilela Alkmin DB

Cargo: Coordenador de Serviços Técnicos e Difusão Genética

 

Filiado à ABCS