ADRIENNY REIS,UMA MULHER DEDICADA À SUINOCULTURA

A coluna Eu Amo a Suinocultura desta semana  conversou com uma das mais conhecidas veterinárias da cadeia, a Diretora Técnico Comercial do IPEVE,  Adrienny Trindade Reis.
Adrienny é graduada pela UFMG e mestre em medicina veterinária preventiva em microbiologia veterinária. Após a graduação nossa entrevistada, fez vários cursos de especialização e treinamentos em universidades  e empresas no exterior, como por exemplo:  Iowa State University, University of Minnesota ,  University of Illinois e em Montreal no Canada na área de diagnóstico e produção de imunobiológicos.  Também participou de projetos de pesquisa em influenza, circo vírus , doenças bacterianas, como Actinobacillus pleuropneumoniae , Streptococcus suis e Haemophilus parasuis em monitorias e diagnóstico destas doenças em nível Brasil
ASEMG: Como  você iniciou começou na suinocultura?
Adrienny Reis: O meu pai sempre foi minha inspiração para iniciar os trabalhos na suinocultura, pela sua dedicação e exemplo de profissional. Além disso, me ensinou que devemos aproveitar a todas oportunidades para crescer e se diferenciar no mercado. Isto sempre me deu  motivação para querer evoluir e me dedicar ao  meu crescimento técnico e profissional. Associado a isto, a suinocultura por si só , quando conhecemos com profundidade, nos apaixona pela sua característica própria de inovação, evolução , tecnologia e dinamismo.
ASEMG: Por que a escolha pelo setor?

A entrevista junto a seus pais e filhos

Adrienny Reis: Além da influência paterna, desde jovem, convivendo dentro da escola de veterinária da UFMG, vários orientadores, mestres, colegas e mentores me incentivaram a permanecer e investir na suinocultura. É muito gratificante ver que sempre vale a pena quando  dedicamos  a um projeto e é reconhecido ao final dele. Durante minha graduação,  mais precisamente no quarto período me envolvi em  pesquisas, estágios e treinamentos em laboratórios no Brasil e no exterior, o que  ampliou minha visão do todo e  resultou no ingresso definitivo  na área laboratorial  junto da iniciativa privada . Hoje além da área laboratorial , estou ainda com foco no campo, para entender melhor às necessidades e dificuldades dos suinocultores, a fim de buscar soluções e auxílio no controle das enfermidades dos suínos.
 
ASEMG: Em sua opinião, quais os grandes gargalos do setor?

Adrienny Reis:Acredito que vários são os desafios da suinocultura atual. Novas genéticas, novas exigências de manejo, ambiente  e legislações, além dos desafios sanitários, têm obrigado os suinocultores a trabalharem de forma produtiva e adequada. Na área sanitária, por exemplo, nos últimos 10 anos, tivemos muitos desafios no controle de doenças como a  circovirose,  influenza  e mais recentemente do  seneca vírus , que nos ensinaram a repensar as formas de produção dos suínos.




Adrienny em momento de descontração




ASEMG:  E quais as fortalezas do setor ?

Adrienny Reis: A suinocultura brasileira possui vantagens sanitárias com certeza. Somos livres da PRRS e do coronavírus, que devastaram suinoculturas de outros países e até hoje tem importância econômica reconhecida.  Por esta e outras razões, como o clima, o espaço físico, nossa capacidade de produção de grãos, o setor suinícola ainda é muito competitivo em nível mundial , possibilitando avançar em outros mercados de exportação.
ASEMG: Em que você poder ajudar no desenvolvimento do setor ?

Adrienny Reis: Acredito que acompanhar  a evolução da suinocultura, entendendo as necessidades do mercado, para avançar no desenvolvimento de produtos e serviços que atendam a estas demandas é essencial. Assim, em associação com os produtores, estas necessidades vão sendo entendidas e desenvolvidas soluções para os novos desafios de cada produtor.
ASEMG: Como você enxerga a suinocultura nos próximos 5 anos?
Adrienny Reis: Acredito que muita coisa vai mudar rapidamente. Proibição e limitação do uso de antibióticos, revisão dos processos de manejo, introdução de sistemas de produção diferenciados  e cada vez mais monitoramento  sanitário e  de forma preventiva,  é a bola da vez.




Adrienny e seus dois filhos




ASEMG: Conte-nos um pouquinho sobre sua vida fora do meio de trabalho. Você tem algum hobby em especial? O que gosta de fazer nas horas vagas?

Adrienny Reis: Gosto muito de correr ao ar livre e de dançar. Essa é a hora em que fico comigo mesma e vivo o meu momento, sem pensar em mais nada.  Além disto, curto muito reunir com os  amigos e ficar em família .
ASEMG: Gosta de algum esporte?

Adrienny Reis: Joguei vôlei  toda minha infância e adolescência, porém hoje estou principalmente  envolvida nas corridas ao ar livre . Mesmo em viagens , procuro fazer esta atividade que me faz bem.
ASEMG: Qual sua viagem dos sonhos?

Adrienny Reis:Viajar pelos campos da Toscana, na Itália!
ASEMG: Mar ou montanha?
Adrienny Reis: Pergunta difícil, gosto de ambos, mas pra escolher , fico com a praia. Nada como um dia de sol vendo o mar!




Adrienny e seus pais no dia de seu batismo




ASEMG: Cerveja ou vinho?
Adrienny Reis: Tudo depende do momento e do lugar. Mas hoje, escolho o vinho na maioria das ocasiões!
ASEMG: Saladinha ou Churrasco?

Adrienny Reis: Adoro um churrasco, sempre. E se for acompanhado de mandioca ou farofa, melhor ainda!
A próxima edição da coluna Eu Amo a Suinocultura será veiculada na quinta-feira (17/11).
Fonte: Assessoria de Comunicação ASEMG (31) 2127-0360 l (31) 99150-0600