ASEMG SUGERE VENDA DE SUÍNO A R$4,40 KG/SUÍNO VIVO

RESUMO EXECUTIVO DA SEMANA
Segundo dados da Pesquisa de Mercado MERCOMINAS desta semana,  o giro do mercado aponta que  65% das vendas do quilo dos suínos vivos em Minas Gerais foram realizadas a R$ 4,40, já na referência de R$4,60, 24% das vendas e poucas negociações, e cerca de 5%, foram feitas abaixo  de R$ 4,40.
O destaque desta semana, apontado pela pesquisa, fica por conta do peso dos animais e quantidade da oferta que segundo o Radar MERCOMINAS, continuam caindo de peso e a oferta abaixo das médias semanais registradas.
De acordo com dados do CEPEA (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada – Esalq/Usp) o preço  do quilo de comercialização do suíno  vivo mineiro, pela segunda semana consecutiva, está acima do preço praticado no estado de São Paulo. O índice do preço mínimo, que na semana passada era R$2,53% acima passou para 5,2%, registrando ontem o valor mínimo de R$4,26 frente aos R$4,10 praticados no mercado paulista.
Ainda segundo dados da Pesquisa MERCOMINAS, o volume de compras de carcaças está 5% superior ao da semana passada e 90%  das casas de carnes da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) pesquisadas pretendem manter a quantidade de suas compras de carcaças para a próxima semana. Válido ressaltar que o preço médio do suíno vivo caiu 2,9%, enquanto que a carcaça caiu apenas 0,8% nesta semana, no mercado mineiro.
NEGOCIAÇÃO DA BOLSA DE SUÍNOS
Produtores participaram da Bolsa de Suínos presencialmente na sede da ASEMG e através do sistema de videoconferência nas associações regionais ASTAP E ASSUVAP.  Do lado dos frigoríficos, estiveram presentes representantes do Torino, Friall, Imperatriz e Laguna. A negociação teve início com os produtores relatando a situação da baixa oferta de animais nesta e na próxima semana e o peso médio dos mesmos caindo ainda mais.
Frigoríficos argumentaram uma dificuldade na venda de suínos e também relataram a possibilidade de compra de animais de outros estados com pagamento para 30 dias e com preço inferior ao praticado no estado mineiro. Cientes da queda no preço do quilo do suíno vivo em estados como Paraná e São Paulo, os produtores reafirmaram as boas condições do mercado em Minas através do baixo peso médio dos animais e ofertas restritas, além da qualidade dos mesmos. Utilizando os dados da pesquisa, os produtores mostraram que a demanda dos varejistas por carcaças  foi 5,3% superior ao da semana passada, segundo o MERCOMINAS.
Os produtores sugeriram o fechamento da Bolsa a R$4,40, sacramentando assim o preço das comercializações da semana. Os representantes dos frigoríficos não aceitaram e sugeriram o fechamento da Bolsa em R$4,00. Os produtores consideraram a proposta fora da realidade do mercado, ficando assim a Bolsa em aberto, cuja sugestão de preço dos produtores é de R$4,40, com validade até o dia 29/01.
ORIENTAÇÃO DE MERCADO DA ASEMG
“O produtor deve usar a vantagem que tem em mãos, por estar com animais leves e fazer o possível para ofertar o mínimo possível dos seus suínos. Assim conseguiremos remuneração melhor  para a próxima semana, que já se iniciará com o retorno das férias e início das aulas”, comentou Deivison Evangelista, negociador da Fazenda São Paulo.
Fonte: Assessoria de Comunicação ASEMG