CONFIRA MATÉRIA PUBLICADA PELO JORNAL ESTADO DE MINAS: SUSTENTÁVEIS E COM CRÉDITO BARATO

Produtores rurais começam  a se adequar às boas práticas e criam projetos para obter dinheiro do programa ABC

Evitar o desperdício, reduzir custos e emissões de carbono, são práticas que já começam a entrar na agenda de João Bosco Martins. Suinocultor, ele produz cerca de 100 toneladas de carne ( animal vivo)por mês. Martins também é presidente da Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais (Asemg), está de olho nas linhas de crédito do programa Agricultura de Baixo Carbono (programa ABC), criadas para financiar boas práticas no campo. Por isso, ele desenvolveu um projeto para implementar medidas importantes de tratamento de dejetos e da água em sua granja. “Meu projeto prevê o tratamento da água para que ela seja devolvida à natureza de forma inerte.” Outra frente é transformar os dejetos em fertilizantes, que vão  adubar a lavoura da propriedade, que fica em Pará de Minas, na Região Central do Estado.
A expectativa do governo federal é que atitudes como a do produtor cresçam no estado e no país, transformando material poluente em adubos, o que reduz o efeito estufa. A meta do programa ABC é que em cerca de 10 anos sejam tratados no país 4milhões de metros cúbicos de dejetos, principalmente da suinocultura, que deve reduzir as emissões em 6,9 milhões de toneladas de CO2.João Martins acredita que a parceria para transformar o modo de produção depende do investimento em educação. “Os fiscais deveriam atuar primeiro como consultores, explicando como deve ocorrer o manejo correto, em vez de punir em primeira instância.”
Projeções apontam para um crescimento de produção brasileira da carne suína na ordem de 22% nos próximos 10 anos. A produção deve atingir 4,1 milhões de toneladas, contra um consumo doméstico de 3,4 milhões de toneladas.
MINAS SAI NA FRENTE Minas Gerais lidera, no Brasil, a aplicação de crédito rural na safra 2011/2012 para desenvolver as boas práticas de produção recomendadas pelo programa ABC. De julho do ano passado a abril, os agricultores mineiros buscaram R$114,8 milhões no Banco do Brasil para investimento mediante acordo de cooperação entre a instituição e a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). De acordo com o gerente de Negócios do BB, Sinvaldo Vieira dos Santos, a perspectiva é favorável à expansão da demanda de crédito para o programa ABC no estado, considerando que o número de contratos em Minas este ano chega a 255, quase o dobro do registrado em 2011.
Segundo Alceste Fernando Lima, assessor técnico da Seapa, os produtores do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba firmaram 91 compromissos e estão na liderança também do valor contratado: R$ 32 milhões. “O Norte de Minas ocupa o segundo lugar com R$ 12,5 milhões, e em seguida vem o Noroeste, com aplicações de R$ 10,4 milhões.” O programa ABC disponibiliza recursos para agricultores de todo o país. As condições dos contratos são facilitadas, com taxa de juros de 5,5% ao ano e prazo para pagamento de até 15 anos.
Fonte: Jornal Estado de Minas