MERCADO DE SUÍNOS SINALIZA ALTA

Minas Gerais vem demonstrando um cenário positivo na venda de suíno vivo. “Na última quinta-feira (09) não houve a Bolsa de Suínos de Minas Gerais, já que os representantes dos frigoríficos não puderam comparecer, devido a outros compromissos, mas falamos com os mesmos por telefone sobre a decisão da Asemg (Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais) que definiu como referência R$3,00 o valor de comercialização do quilo do suíno vivo” comentou José Arnaldo Cardoso Penna, vice-presidente da Asemg. Confirmando a tendência de alta do mercado de suínos a corretora Suzana de Holambra informou na última sexta (10) a venda de 640 animais em 52@= R$2,77/kg.
Segundo o Jox Assessoria Agropecuária, foi muito positivo o desempenho das vendas de carcaças in natura para o comércio de São Paulo nesta parte final da semana, pois os volumes acusaram crescimento face à projeção de um consumo melhor, devido à circulação dos pagamentos, às vésperas do Dia das Mães, com o clima de frio. Notou-se que o comprador apresentou uma demanda de última hora e as indústrias, sentindo isto, apressaram-se para buscar reajustes, ainda que tenham enfrentado preços competitivos especialmente vindos de fora do Estado. Quanto ao mercado físico de cevados do interior paulista, desde quinta-feira já se tinha percebido a resistência dos produtores em atenderem a procura dos frigoríficos. Isto continuou ocorrendo e teve alguns, inclusive, que não conseguiram fechar toda a escala para esta semana. É oportuno frisar que para esta ocasião, os fechamentos se deram com alta expressiva.
Para Fernando Soares, suinocultor do Vale do Piranga, o mercado está demandado. “Estamos em um momento positivo para os produtores, precisamos estar cada vez mais unidos para lutarmos por e valores mais expressivos” disse o produtor.
 
Fonte: Assessoria de Comunicação Asemg