PNDS EM MINAS INICIA ATIVIDADES NA REGIÃO CENTRO-OESTE DO ESTADO

Na última segunda-feira (13) representantes da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais (Asemg), Sebrae Minas, Arapé Agroindústria e ABC Supermercados estiveram reunidos na sede da Asemg para iniciarem as atividades do Projeto Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (PNDS) na região Centro – Oeste de Minas. “Essa região tem o diferencial de contar com a parceria do varejo, um gargalo apresentado em outras localidades. Tenho certeza que este será um projeto que servirá de modelo para todo o país” comentou Sabrina Cardoso de Moura, gerente executiva da Asemg e coordenadora do PNDS em Minas.
 Durante a reunião os presentes conheceram as ações já realizadas no Estado, via PNDS, e visualizaram as ações programadas para aquela região no decorrer de 2012. “As atividades demandas pela região já estão aprovadas pelo Sebrae Minas, assim sendo podemos dar andamento ao projeto na região”, explicou Fernando Machado Ataíde,  consultor técnico do Sebrae Minas.
 “O PNDS na região Centro-Oeste de Minas, um grande pólo produtor de suínos, veio para potencializar a cadeia suinícola na região e fortalecer o setor. Ficamos felizes em fazer parte disso” contou Roberto Magnabosco, gerente-geral da Arapé Agroindústria.
 Ao longo do ano de 2012 a região contará com  consultorias industriais, estudos de viabilidade de negócios, palestras a respeito da saudabilidade da carne suína, ações para inserção do produto em refeições coletivas, capacitação de açougueiros e cantineiras, festivais gastronômicos, distribuição de material, diversos cursos na área de produção, ações no varejo, entre outros. “Temos uma expectativa muito positiva para a região Centro-Oeste. Já existe um cenário e os  atores envolvidos estão muito felizes com a realização do projeto nesta região” disse João Bosco Martins de Abreu, presidente da Asemg.
 “Uma semente foi lançada há alguns anos com a campanha “Um Novo Olhar Sobre a Carne Suína”, e aperfeiçoada com a implantação do PNDS. Minas inovou incluindo a participação dos  frigoríficos e agora  de uma rede varejista forte, com mais de 30 lojas espalhadas no Centro-Oeste de Minas. Tenho certeza que teremos sucesso” comentou José Arnaldo Cardoso Penna, vice-presidente da Asemg.
 Assim como nos dois outros projetos existentes nas regiões do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba e Zona da Mata, os parceiros da região Centro-Oeste de Minas irão contribuir financeiramente com as atividades do PNDS, fazendo com que o mesmo ganhe força e possa investir ainda mais nas atividades programadas para a região. “A contrapartida paga pelos parceiros dos projetos que estão em andamento em Minas Gerais são fundamentais para a estruturação dos mesmos e o incremento de ações existentes”  explanou Lívia Machado, coordenadora do PNDS.
 Para o presidente da ABCS, Marcelo Lopes, a extensão do PNDS no Estado é animadora. “Minas Gerais é uma referência em meio ao PNDS. Percebemos isso através de outros Estados  que procuram desenhar seus planos de trabalhos embasados nas ações mineiras, através de um escopo estruturado com ações nos três elos da cadeia: produção, indústria e comercialização. Ver  a abertura de novos empreendimentos em Minas é uma alegria, é a constatação de que o produtor, indústria e varejo estão aderindo ao projeto, trabalhando em prol do mesmo e contribuindo financeiramente para o bernefício de toda a cadeia” explicou o presidente.
 Os trabalhos serão iniciados em março através de cursos que procurarão trabalhar a cultura da cooperação dentro das três cooperativas e a qualidade total nas granjas da região. “ Com esse trabalho, os participantes da cadeia suinícola desta região terão a oportunidade  de conhecerem mais a respeito do cooperativismo e assim perceberem a importância da união do setor” explicou Lisiane Marinho, coordenadora do Sebrae Minas na região Centrro-Oeste.
 Segundo Fabiano Coser, diretor  executivo da ABCS, o PNDS em Minas  é um sucesso. “ Com os bons resultados alcançados junto aos projetos da Zona da Mata e Alto Paranaíba, a responsabilidade de fazer dar certo aumenta , mas com o comprometimento de todos os parceiros é certo que o sucesso será estendido  também à região Centro-Oeste” disse.