PRODUÇÃO DE ENERGIA DE FORMA SUSTENTÁVEL JÁ É REALIDADE EM MINAS

No dia 29/01/2013 produtores de suínos de todo o país terão a oportunidade de conhecer uma forma econômica e sustentável de produzir energia limpa em suas propriedades. A ideia inovadora  é da Acrona Systems S.A. , em parceria com a Capstone Turbine Corportation, Furtado & Associados e Biolatina Energia Renováveis S/A ,  que elaborou um modelo de microturbina que gera energia a partir do biogás gerado no tratamento dos efluentes da suinocultura e captado nos biodigestores.
Segundo o consultor ambiental, Paulo Furtado, muitas são as vantagens em se trabalhar com o equipamento. “Algumas das vantagens da microturbina são: geração de energia elétrica a partir do biogás gerado nos biodigestores e outras fontes, fornecimento de calor para o aquecimento em geral e até a secagem de grãos, baixo nível de ruído, não utilização de óleo lubrificante,  primeira manutenção somente após 4 mil horas, vida útil em torno de 15 anos, disponibilidade de assistência técnica em Minas Gerais, sendo que a produção de energia mensal de uma turbina C65 pode abastecer até 330 famílias de 4 pessoas, entre outras”  explicou Furtado.
A demonstração da eficiência da aparelhagem poderá ser constatada através de uma visita de campo programada para acontecer, no dia 29/01/2013 na sede da Fazenda São Paulo, unidade Oliveira, onde está em funcionamento desde junho de 2012 o primeiro dispositivo deste porte do país. “O processo é muito interessante e tem demonstrado bastante eficiência. A turbina funciona 24 horas por dia com quase zero de manutenção e tem apresentando vantagens em relação aos geradores convencionais”explicou Jair Cepera, diretor da Fazenda São Paulo.
Além da demonstração de funcionamento da microturbina os produtores poderão  tirar dúvidas a respeito das possibilidades e economia geradas  através do representante da Cemig e saber a respeito de financiamentos com um gerente do Banco do Brasil que estarão presentes na visita técnica. “Este projeto vem sendo acompanhado pelos engenheiros da Efficientia, uma empresa da Cemig, a qual está interessada em manter parceria com os produtores, bancando até 100% do valor do projeto, desde que haja benefício econômico. Para isto será feito um estudo entre a capacidade de geração a partir do biogás disponível no empreendimento e o consumo de energia elétrica. O valor gasto mensalmente deverá ser suficiente para pagar o investimento entre 48 e 60 meses. Em resumo, o valor da conta de energia elétrica poderá bancar o financiamento e ao final todo o equipamento será do produtor” disse Furtado.
O projeto da microturbina inicialmente estará disponível para empreendimentos que tenham uma geração acima de 3.200 m³/dia, o que equivale a uma granja com 1700 matrizes em ciclo completo. Com as melhorias previstas para os biodigestores, como por exemplo: limpeza, recirculação e aquecimento com a própria água da microturbina, acredita-se que o número mínimo de matrizes deverá cair para 1400 matrizes em ciclo completo em um único sítio. A expectativa é que  aos poucos a tecnologia seja viabilizada economicamente, havendo possibilidade de ficar viável para empreendimentos com no mínimo de 600 matrizes até 2015.
Para João Bosco Martins de Abreu, presidente da Associação dos Suinocultores do Estado e Minas  Gerais (Asemg), toda iniciativa que visa a produção de forma sustentável e lucrativa ao produtor é interessante. “Percebemos que o processo utilizado será de grande valia para a geração de energia limpa e a diminuição de custos, em longo prazo, o que pode ser algo bastante interessante para o produtor” disse o presidente.
Fonte: Assessoria de Comunicação Asemg