PRODUTORES CONHECEM MICROTURBINA COM FUNCIONAMENTO A GÁS GERADO PELA SUINOCULTURA

Produtores de suínos de todo o país estiveram, no último dia 29, na sede da Fazenda São Paulo – Unidade Oliveira – para conhecerem o funcionamento da primeira unidade de uma Microturbina com Funcionamento a Gás Gerado pela Suinocultura, instalada no país. O equipamento está sendo trazido ao Brasil através da Acrona Systems S.A , em parceria com a Capstone Turbine Corportation, Furtado & Associados e Biolatina Energia Renováveis S/A .
Estiveram presente no evento cerca de 50 produtores e representantes das empresas responsáveis pelas microturbinas, que demonstraram de forma prática e teórica o funcionamento do equipamento, que segundo o consultor ambiental, Paulo Furtado, possui muitas vantagens. “Algumas das vantagens da microturbina são: geração de energia elétrica a partir do biogás gerado nos biodigestores e outras fontes, fornecimento de calor para o aquecimento em geral e até a secagem de grãos, baixo nível de ruído, não utilização de óleo lubrificante, primeira manutenção somente após 4 mil horas, vida útil em torno de 15 anos, disponibilidade de assistência técnica em Minas Gerais, a produção de energia mensal pode abastecer até 330 famílias de 4 pessoas, entre outras” explicou Furtado.
Para Jair Cepera, diretor da Fazenda São Paulo, a utilização do equipamento tem sido vantajosa. “O processo é muito interessante e tem demonstrado bastante eficiência. A turbina funciona 24 horas por dia com quase zero de manutenção o que representa certa superioridade em relação aos geradores convencionais” comentou Jair.
A parte teórica foi abordada através de uma palestra, onde os presentes puderam conhecer o material e tirar dúvidas a respeito do funcionamento e formas de aquisição. Também presente esteve um representante da empresa Efficientia, parte do Grupo Cemig, a qual está interessada em manter parceria com os produtores, bancando até 100% do valor do projeto, desde que haja benefício econômico.
O projeto da microturbina inicialmente estará disponível para empreendimentos que tenham uma geração acima de 2.800 m³/dia, o que equivale a uma granja com 1500 matrizes em ciclo completo. Com as melhorias previstas para os biodigestores, como por exemplo: limpeza, recirculação e aquecimento com a própria água da microturbina, acredita-se que o número mínimo de matrizes deverá cair para 1100 matrizes em ciclo completo em um único sítio podendo a chegar a 500 matrizes até 2015.
Para João Bosco Martins de Abreu, presidente da Associação dos Suinocultores do Estado e Minas Gerais (Asemg), o dia de campo foi bastante proveitoso “Pudemos conhecer de perto uma tecnologia responsável por uma energia limpa, que ocupa pouco espaço e exige pouca manutenção”contou o João Bosco.
O dia de campo contou, ainda, com um almoço a base de carne suína preparado pelo mestre churrasqueiro Daniel Furtado.
Fonte: Assessoria de Imprensa Asemg