BOLSA DE SUÍNOS DE MINAS GERAIS FECHA EM R$4,60

Em Bolsa realizada hoje (13) representantes dos suinocultores e dos frigoríficos concordaram de que se trata de  uma semana com números positivos relativos à comercialização dos animais, no entanto, frigoríficos reclamaram que o repasse de cortes como pernil e lombo para o varejo vem sendo bastante complicado.
Suinocultores contra argumentaram citando dados do MERCOMINAS onde consta que  o preço médio do quilo do suíno vivo subiu R$ 0,39 e a média da carcaça no varejo subiu R$ 0,51, demonstrando assim que houve repasse dos valores incrementados na Bolsa aos varejistas, sendo que estes últimos também aumentaram o valor dos cortes suínos na ordem de 2,75%.  Frente a estes dados, suinocultores  fizeram a pedida de R$4,80 para o fechamento da Bolsa de Suínos de Minas Gerais.
Frigoríficos discordaram e ofereceram a manutenção da Bolsa em R$4,40 , argumentando que se está caminhando para o final do mês, o que dificultam as vendas.  Produtores discordaram e mostraram que segundo a pesquisa  houve um aumento nas vendas de carcaça na faixa de 8,16%, e ainda assim  100% dos entrevistados pela pesquisa pretendem manter as compras de carcaças realizadas nesta semana, ou seja, os volumes comercializados continuarão altos.
Após algum tempo de discussão a Bolsa ficou acordada entre as partes em R$4,60/kg do animal vivo  até  20/06 quando haverá nova reunião.
Fonte: ASEMG