BOLSA DE SUÍNOS DE MINAS GERAIS SUGERE R$4,30 (QUILO DO SUÍNO VIVO)

Suinocultores e representantes dos frigoríficos estiveram reunidos na data de hoje, 30/11, na sede da ASEMG (Asemg Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais) para discutirem o valor de comercialização do quilo do suíno vivo no Estado.
As exposições iniciaram com os produtores citando suas experiências do decorrer da semana que transcorreu de forma ajustada com maior procura por parte dos frigoríficos a partir de quinta-feira, inclusive com solicitação de cargas extras, negociatas durante o fim de semana além de tentativa de compras com valores no escuro, ou seja, ao valor que ficasse acordado em Bolsa.
Produtores utilizaram dados do MERCOMINAS, que demonstram que 29% dos entrevistados relativos ao varejo pretendem incrementar a compra da proteína suína, o que aponta para um mercado ainda mais comprador durante os próximos dias. Frente a este cenário os produtores fizeram a pedida de uma alta em relação ao atual valor de comercial
Frigoríficos argumentaram que a semana não foi positiva para os mesmos, explicitaram o excesso de produtos em estoque e a entrada de animais de outros Estados a preços inferiores ao suíno comercializado em Minas. Os compradores concordaram que o cenário dá sinais de melhora, no entanto afirmaram que esta não seria a semana ideal, uma vez que ainda nem conseguiram repassar a alta conquistada pelos suinocultores na semana anterior.
Compradores então propuseram a manutenção da Bolsa de Suínos de Minas Gerais em R$4,10. Suinocultores rejeitaram a proposta e fizeram a pedida de R$4,40 alegando a grande procura, inclusive por parte de frigoríficos que não são habituais compradores. Além de argumentações tradicionais desta época do ano, como: entrada de massa salarial, entrada de décimo terceiro, proximidade com as festividades de final de ano e os baixos estoques dos frigoríficos para este período do ano.
Após bastante discussão entre as partes a Bolsa de Suínos de Minas Gerais não foi acordada e o valor sugerido para a comercialização do quilo do suíno vivo foi de R$4,30. “Mais uma vez eu conclamo os companheiros suinocultores a não se afobarem na hora de comercializarem seus animais. Tenho certeza que se nos mantivermos unidos conseguiremos um valor mais justo do que o ofertado pelo quilo do suíno vivo durante a Bolsa desta semana” comentou Dr. Antônio Ferraz, presidente da ASEMG.