SUINOCULTORES PODEM CONTAR COM PARCERIA DO SEBRAE MINAS PARA TRABALHAREM A GESTÃO FINANCEIRA DAS GRANJAS

Criado em 1997 o Projeto Educampo é uma iniciativa do SEBRAE, idealizado como um modelo de assistência gerencial que vai além do conceito da assistência técnica tradicional. Tem como princípio a gestão de negócios, normalmente uma das maiores deficiências encontradas junto aos empresários rurais, ampliando a capacidade do produtor em gerir sua atividade.
Para o suinocultor e vice-presidente da ASEMG (Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais) José Arnaldo Cardoso Penna,  fazer parte do projeto é primordial para a saúde da granja. “Participo do programa há algum tempo e já pudemos observar um melhor entendimento do negócio como um todo, suas variáveis além de melhoria de eficiência, o que é importante em todos os momentos e principalmente em tempos de crise, já que  diminuem o custo e nos ajudam a tomar decisões mais acertadas em relação a compra e venda” comentou  Penna.
Educampo e a Crise
Em momentos como o atual é primordial que as granjas sejam o mais eficiente possível, reduzindo assim custos e intensificando o retorno monetário. O grande diferencial do Educampo é colocar à disposição do produtor auxílio para elaborar um bom planejamento com base na realidade da sua granja, e não somente com informações vindas do mercado. Durante os trabalhos mensais, o consultor  reforça a necessidade de seguir as metas traçadas, além de revisar constantemente os eixos norteadores deste planejamento.
Tomando como exemplo as grandes mudanças ocorridas, nos últimos seis meses no cenário da suinocultura. A falta de perspectivas e de estabilidade político-econômica afetou e tem afetado também a suinocultura e a tomada de decisão do dia a dia das granjas. “Com o auxílio do Educampo, é possível conhecer quanto estas mudanças de cenários irão influenciar o caixa das granjas e, com isto, medidas são delineadas para conviver de maneira mais adequada com este quadro pelo qual estamos atravessando” disse Leonardo Maciel, médico veterinário e consultor do Educampo.
Resultados
Em pesquisa realizada com suinocultores, clientes do Educampo, em setembro de 2015, na região de Pará de Minas, 69% dos produtores responderam que concordavam plenamente que o trabalho tinha permitido tomar decisões para buscar o aumento do lucro. “Neste momento de grave crise, não tenho dúvidas de que o maior ganho foi para os produtores que estão no Educampo há pelo menos um ano e confiaram no trabalho ao ponto de terem tomado medidas no início do segundo semestre de 2015 para superar com maior facilidade o cenário atual. Naquele momento, não tínhamos informações de que o milho iria chegar aos patamares atuais, mas sabíamos que seria um semestre difícil, dado as conjunturas já desenhadas àquela época para nossa economia, segundo muitos economistas alertavam. Seguimos esta linha durante o Planejamento 2015/2016 e o resultado é que os produtores que acreditaram nesta linha estão, hoje, melhor posicionados para sair da crise mais fortalecidos” explicou Leonardo.
Antes x Depois
Após participar do Educampo, o produtor fica mais cético com relação a “receitas de bolo” e ao senso comum para administrar o negócio que existem na suinocultura e em qualquer atividade, ou seja, o produtor moderniza o modo de pensar a atividade. Por exemplo, existe ainda um mito conhecido na suinocultura de que a ração representa 70% do custo de produção. Isto tem mudado nos produtores que participam, pois eles reconhecem que nem sempre isto é verdade para a sua granja, além do fato de que ter 60% de R$4,20 é pior que ter 70% de R$3,80. Ou seja, o gasto com ração é importante, mas não é tudo. Neste exemplo, se gasta menos com ração proporcionalmente, mas o custo de produção é maior.
Como Participar
O pré-requisito básico para o produtor participar é estar disposto a querer melhorar a forma de gestão. Este é um trabalho que demanda esforços tanto do suinocultor quanto da equipe da granja, além do trabalho do consultor. “É premissa do projeto que, além  os empresários rurais, exista uma empresa parceira que exerça papel fundamental na coordenação e apoio à execução do projeto, podendo esta ser uma cooperativa ou agroindústria” explicou Fabiana Vilela, analista de agronegócios do Sebrae.
Para participar, o produtor deve buscar a sua cooperativa associada, a ASEMG ou o Sebrae da sua cidade/região e se informar sobre o Educampo.
Fonte: Assessoria de Comunicação ASEMG